"Há dias assim… dias em que me recolho ao meu silêncio de menina-mulher que quer desmontar o livro da vida para lhe descobrir os segredos e os desígnios…" (palavrasaovento.blogs.sapo.pt)

17
Out 09

 

 "Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver".

- Amyr Klink in "Mar sem fim: 360̊ ao redor da Antártica‎"

 

 

'Eu sou de ninguém. Eu sou de todo o Mundo e todo o Mundo é meu também.'

 

 

 

 

 

 

Foi a Ni às 15:20
Sinto-me: Livre!
A ouvir: George Michael - Freedom

27
Set 09

 

 Já te disse hoje o quanto gosto de ti?

Nao? Fica sabendo que gosto. Verdadeiramente. Lealmente. Da maneira que os melhores amigos são. Verdadeiros. Leais. Como Tu.

 

 Já te disse hoje o quanto me fazes falta?

Fazes-me imensa falta. Faz-me falta o teu sorriso de manhã e o conforto mudo de saber que estou bem ao teu lado. Anseio todos os dias pelo 'Hello Morais', as gargalhadas descomprometidas e (talvez) comprometedoras, da cumplicidade natural e do ombro, abraço, palavra...da Amiga, sempre pronta a ouvir, sempre pronta. Sempre ali 'no matter what'.

 

 Já te disse hoje que me orgulho de ti?

Com o coração insuflado, com olhos brilhantes e braços abertos. Porque fico feliz com a tua felicidade, porque sou feliz com a tua amizade.

 

 Já te disse hoje que és a minha melhor amiga?

Porque és, com todo o merecido crédito. ('Hou 'bout a round of applause? A standing ovation?')

Agradeço-te a cada dia por isso.

 

 

Miss you a LOT. <3

 

 

Foi a Ni às 00:09
Sinto-me: Feliz
A ouvir: Kate Nash - Pistachio Nut

17
Set 09

Partir ou Ficar?

 

...Eis a questão.

 

 

 

Mas o que é agora partir? E o que é agora ficar?

 

You can't always get what you want.

 

But if you try, sometimes you might find...

...You get what you need!

Oooooh Yeah!

Foi a Ni às 16:48
Sinto-me: Like a tiny fish in a big pawn
A ouvir: Rolling Stones - You can't always get what you want

14
Set 09

 

 

Abraço de dois espaços

E de novo se fez um.

De novo, embora sempre,

Foram braços abertos

Despertos para ti.

 

A custo se apartaram,

Ainda rodeados de ti,

Ali, sem defesas,

Segredaram, por fim:

'Sempre será assim'

 

 

 

 

Foi a Ni às 22:51
Sinto-me: Já com Saudades
A ouvir: Snow Patrol - Crack the Shutters

12
Set 09

 

 A vida é feita de escolhas. Opções tomadas com maior ou menor ponderação por nós e pelas outras vidas à nossa volta. São esses os passos constantes que nos permitem desenhar o nosso percurso pelos inúmeros caminhos traçados à volta de nós mesmos. As caras que estão diante de mim hoje são as mais oportunas testemunhas do cruzamento em que nos encontramos. Graças a infindáveis escolhas, tanto as tomadas como as descartadas, caminhámos juntos neste trajecto das nossas vidas.
 Aqui, nesta escola, as pessoas que conhecemos, as experiências que nos foram proporcionadas e as lições que aprendemos contribuíram solidamente para as pessoas que somos neste preciso momento. Este foi mais que um local de aprendizagem de conteúdos. Foi uma aprendizagem por si só, um palco de crescimento.
 Mas, a partir de agora, o conforto da cumplicidade própria de quem caminhou lado a lado com as mesmas dúvidas e receios e partilhou alegrias, vontades e descobertas terá de dar lugar à nudez do individualismo. Avançamos para a vulnerabilidade da tentativa e erro com a vontade e a ousadia de dar o nosso próprio contributo para o mundo. 
 Assim, reunimo-nos aqui e agora professores, pais, amigos e colegas para celebrar, não fim de um caminho, mas sim a abertura de novos à nossa frente.  

Bem-vindo, Futuro!

 

Foi a Ni às 14:58
Sinto-me: Pronta
A ouvir: Hallelujah - Jeff Buckley

05
Set 09

 

 

 Genuina e pacificamente feliz. É como me sinto. Neste momento, hoje, a semana inteira. Tenho-me sentido plena. Não sei se consegues perceber como é que a euforia que sempre viste reflectida nos meus olhos (e no riso que se afirmava mais poderoso que qualquer força natural), e que me catalogava como espirituosamente feliz , deu lugar à serenidade luminosa do sorriso que vês agora. A esta felicidade não dou nome, assiste por ti próprio ao seu florescer. Aprendemos juntos que nem tudo tem de ter nome, e mesmo que tentemos por todas as formas encaixar um sentimento num nome-comum que outras pessoas criaram não resulta. Os sentimentos querem-se livres, auntónomos, para que permaneçam puros e verdadeiros.

 Ás vezes apetece-me mesmo perguntar-te o que é 'isto', mas acabo por me reduzir ao silêncio de um olhar recíproco, tão profundo olhado de frente (também diferente de tudo o resto que conhecemos), porque ele concorda que este é um espaço que deve ser deixado em branco, porque o preenchimento tem cores que a razão desconhece, e portanto não é percepcionado como realmente é. Mais vale deixar o coração assumir todas as cores que se ocupam de nós. O Amor não tem cor fixa, e a cor da paixão desmedida não se adapta à distância muda entre tu e eu. Não agora.

 Agora,

sabes o quanto vale só por si? Vale a felicidade espontânea que me tem preenchido. Vale bem mais, eu é que ainda o estou a descobrir. Vale todos os nomes-comuns que nunca se aplicarão a nós, nem ao ontem nem ao amanhã. O Agora é para mim o sol que me ilumina os olhos, sem filtros de defesa, sem a resistência de olhar para baixo nem a negação dos olhos cerrados. São os olhos abertos como braços, prontos para receber o sol sem o sufocar em mim, até porque o seu calor penetra mais fundo se não for empurrado contra a minha pele. É assim que aprendo a saborear-te no presente: sem planos de futuro nem flashbacks do passado, pois eles nunca são fiéis. Mas, no Agora, tu existes exactamente como és, sem a névoa de sonho lançada sobre ti.

 É por isso que te quero manter como a tarde de sol que és na minha vida. Prolonga-te e dissipa-te na minha paisagem, porque serás bem-vindo sempre que lhe quiseres juntar a tua luz.

 

 

Foi a Ni às 22:18
Sinto-me: Iluminada
A ouvir: Ana Carolina & Seu Jorge - É isso aí
tags: ,

27
Ago 09

 

 

 

 

 

 Pêssegos e bolachas não são guardados no mesmo local. Os sabores e texturas não combinam. Mas nós insistimos que uma vez por outra não faz mal, e a nossa receita de ingredientes estranhos a estrangeiros resulta numa refeição a dois.

 

 

 

Miss Cookie misses Mr.Peaches.

Foi a Ni às 20:49
Sinto-me: A comer um pêssego.
A ouvir: Champagne Supernova - Oasis
tags: ,

26
Ago 09

 Assim que chego a casa, cansada da viagem de 3h30 atiro-me para cima da cama. Deixo-me saborear de olhos fechados o regresso à realidade.

 Acabou. O Verão acabou. Ficou lá, onde Tu ficaste. O Sol não se desprendeu de ti, não me seguiu, não me aqueceu. O cheiro do mar e o sabor do sal não mais se entranham na minha pele. Tudo passou para ti no último abraço que demos. Todo o Verão se escapuliu por entre o beijo da despedida que tentavamos adiar segundo a segundo. Mas era inevitável.

 

 

Tu és o Sol. Tu és o Verão.

O Meu Verão.

 

E sinto a tua falta assim que sou obrigada a virar-te as costas para ver a primeira nuvem de saudades no canto do meu olho.

 

Foi a Ni às 23:10
Sinto-me: Melancólica
A ouvir: Break of Dawn - Michael Jackson
tags: ,

06
Ago 09

 

 

'Epá, Tu pareces uma personagem saída de um filme...!'

 

 

 

'A sério?'

'Sim.'

 

'E de que tipo de filme?'

'Hum...comédia, sem dúvida. Mas sem exageros. E anime...sem os olhos a ocupar a cara toda.'

 

'E mais qualquer outro género que nem sei bem que nome lhe dar...'

Foi a Ni às 00:39
Sinto-me: Sugar High
A ouvir: Futatsu no Kodou to Akai Tsumi

23
Jul 09

 

 Ontem pedi-te que me contasses uma história. 'Uma história? Mas de que tipo?' - disseste tu. Apenas uma história, como as que se contam para adormecer. Admiraste-te com o pedido mas apressaste-te a satisfazê-lo: 

 

 

 'Era uma vez um astronauta que, depois de inúmeras viagens por outras tantas galáxias, chegou a um planeta onde encontrou um ser que em muito apresentava semelhanças com o que na terra se podia ter como animal de estimação. Podia ser um cão ou um gato. Era uma criatura diferente, talvez até estranha, mas amistosa, mostrava-se afável e de confiança. E por tudo o que a criataura lhe inspirava imediatamente se afeiçoou a ela. Ficou radiante por também a criatura mostrar sinais de afecto.
 

 O astronauta ficou muito satisfeito com a situação. Tinha estabelecido contacto com um ser alienígena e isso era um feito notável neste e em qualquer mundo habitado, tratou, por isso, de cuidar bem da sua descoberta. E lá foi cuidando sempre o melhor que pode. Pensou que a sua missão a partir daí seria cuidar. E a criatura, aparentemente cuidada e cuidadosa, deixou-se cuidar porque pensou que esse cuidado era importante para o astronauta.
Os dias iam passando e os cuidados do astronauta tornavam-se uma rotina mais ou menos bem sucedida. Entretanto a criatura, que não era nem um gato nem um cão, interrogava-se sobre o que faria o astronauta manter tanto afinco em cuidados que, afinal, não eram tão necessários assim, e sentia-se incomodado. O astronauta olhava a criatura cada vez mais com estranheza e pensava e repensava como é que tanto empenho e afecto a cuidar poderia incomodar e, confuso, foi entristecendo. A criatura notou e ficou triste, sem saber como curar a tristeza do astronauta.


 O astronauta conhecia cães e gatos e amava todos os animais. Queira o melhor para eles. Por mais que se esforçasse não entendia o desconforto e a indiferença da criatura que, entretanto, comunicava numa linguagem estranha e indecifrável. O astronauta começou a ter medo sem saber de quê. A criatura reparou e não percebeu porquê. O astronauta inventava maneiras de cuidar. A criatura inventava formas de se deixar cuidar sem esforço do astronauta. O astronauta cuidava que cuidava. A criatura queria cuidar sem nunca conseguir.
 Ambos se tinham esquecido que eram apenas diferentes. Diferentes no sentir e no cuidar. E isso fazia toda a diferença das peças por encaixar. O astronauta e a criatura eram diferentes e atropelavam-se diariamente sem perceber os limites da diferença.'

 

Perfeito. Foi o que respondi. E tu sabias que sim, era por essa razão que tinhas escolhido essa história para me contares: é-te tão familiar quanto a mim. A nossa Metáfora. Diz-me, meu ET, será que com os nossos erros já aprendemos a moral da história?

 

 

 

 (Sei que fizeste batota, era impossível esceveres com tamanha rapidez, mas dizes que tens as tuas fontes (Leia-se: http://dentrodocopovazio.blogspot.com). Eu não me importo, escolheste bem.)

Foi a Ni às 00:36
Sinto-me: Plena
A ouvir: Yiruma - Kiss the Rain

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
Historial'
Mais sobre a Ni'
Procurar'
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO